O meio digital vem transformando cada vez mais as formas de prestação de serviço. Uma delas é a nota fiscal de serviços eletrônica, conhecida como NFS-e nacional. Anunciada para ser usada a partir de dezembro de 2017, esse tipo de nota promete dar maior versatilidade na emissão de notas fiscais e a manutenção mais segura das finanças de estabelecimentos de todo o país.

Como iniciará o projeto?

A princípio, a NFS-e nacional passará por um período de testes para depois passar a ser veiculada em todo o Brasil. Cidades como Porto Alegre, Maringá e Brasília usarão a nota por um período antes de outras capitais e cidades para ver a adaptação tanto dos estabelecimentos quanto do público com a nova nota fiscal.

A promessa é a de que a NFS-e nacional se torne um modelo padrão assim como foi com a nota fiscal eletrônica, emitida em qualquer estabelecimento em compra e venda de serviços. A emissão e o armazenamento das notas já eram em modo eletrônico, mas com a nova nota, o emissor terá um maior poder de autenticidade da nota perante a porta nacional e para prestação de contas.

Como será a NFS-e nacional?

Todos os prestadores de serviços como empreendedores, contadores e outros profissionais deverão emitir esse novo modelo de nota. Essa nova forma visa comprovar a autenticidade do estabelecimento e do dono do negócio, além de atender as demandas municipais de finanças e manter um padrão único para obrigações tributárias.

A NFS-e nacional também deverá reduzir custos tanto para quem é contribuinte como também para quem quer somente manter uma troca informações para os Fiscos. O Danfe, que é o documento auxiliar da nota fiscal atual, também deixará de ser uma porta de acesso para a NFS-e nacional, garantindo maior fluidez e segurança tanto para o empreendedor quanto para a prefeitura.

Dificuldades com a tecnologia

A nova estratégia digital deverá ser um avanço considerável para muitas cidades, especialmente as capitais. No entanto, algumas cidades interioranas deverão ter certa dificuldade no início por conta do acesso limitado ao meio eletrônico para emitir essas notas.

Nesses casos, é obrigação da prefeitura local aderir ao projeto e iniciar uma infraestrutura adequada para que as notas fiscais circulem na cidade. Essa intervenção poderá ser desde a implantação de aplicativos, reformular padrões de segurança ou ampliar sua rede digital na cidade para que a emissão não seja prejudicada.

Em alguns casos, haverá a necessidade também da emissão de um certificado digital. Há vantagens e desvantagens e isso também deve ser avaliado em âmbito municipal. Uma vez que isso abre portas para várias empresas, a certificação também limita alguns métodos no meio eletrônico como é o caso da validade jurídica ou atestação da autenticidade.

Mas como qualquer empresa, vale a pena se informar em como ter acesso a essa certificação digital para que seu estabelecimento esteja preparado para a chegada da NFS-e nacional. Servindo para assinatura de documentos importantes ou mesmo para alavancar produtividade, esse tipo de nota ajudará a manter sua empresa sintonizada com os avanços econômicos do país e a desenvolver maior evolução na região de atuação.

Share This