A menos de dois meses para a Copa do Mundo, mais da metade dos empreendedores não está preocupada em se preparar para o evento. Segundo uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), apenas 18% das pequenas empresas estão realmente preparadas para os jogos e 19% pretendem fazer algum tipo de preparação, mas ainda não começaram.

Boa parte dos empresários ouvidos diz que não há necessidade de preparação. Essa foi a justificativa de 42% dos pesquisados. Outros 17% disseram que a concorrência também não está fazendo grandes preparações e 13%, que os investimentos feitos durante a Copa das Confederações, em 2013, serão suficientes para atender a demanda neste ano. Essa preparação inclui ampliação de estoques, contratação de funcionários, aumento da variedade de produtos e treinamento de equipe.

Mesmo sem se preparar, 56% dos empresários esperam faturar mais no período. De acordo com a pesquisa, 16% estão muito otimistas, 33%, indiferentes com o aumento nas vendas, e 7%, esperam queda no resultado. Entre os mais pessimistas estão os comerciantes, com 27% dos entrevistados dizendo que o setor deve lucrar menos com a Copa. Os feriados em dias de jogos devem causar essa baixa nas vendas.

O estudo ouviu 600 empresários em 7 das 12 cidades sede do campeonato, nos principais setores afetados pelo evento. As empresas da área de locomoção e transporte são as menos empolgadas: 64% dos empresários não pretendem fazer investimentos ou contratações para o período. Na área de comércio e alimentação, mais da metade dos empresários está na mesma situação.

O setor mais otimista com a Copa do Mundo é a área de turismo, em que 42% das empresas garantem estar preparadas para atender a demanda do período.

Entre as cidades avaliadas, o Rio de Janeiro teve o pior resultado. Só 22% dos empresários disseram que já estão preparados ou irão se preparar para o evento. Mesmo assim, os cariocas são os mais otimistas com os resultados da Copa. Pelo menos 45% dos entrevistados acreditam que o volume de vendas crescerá muito durante os jogos no Rio de Janeiro. Fortaleza é a cidade mais empenhada em se preparar, com 81% das empresas prontas ou em preparação para os dias de jogos.