A escolha do nome de uma empresa é das decisões mais importantes do empreendedor. Optar pelo nome errado pode ser, então, um problema para consolidar a sua marca, otimizar as buscas pelo seu produto e até fechar negócios com clientes e parceiros.

Mas o que pode ser considerado um “nome errado”? Aquele que não tem apelo entre os consumidores, que é difícil de pronunciar ou soletrar e, também, que se parece muito ao nome das concorrentes.

Saiba como evitar esse deslize:

1. Posicione sua marca. Deixar claro a que sua empresa se dedica pode ser a chave para a escolha de um nome simples e funcional.

2. Estabeleça uma relação emocional com o consumidor. Nomes que podem ser associados a sensações ou que remetem a alguma experiência do cliente têm maiores chances de criar engajamento com a empresa. É o caso da Kodak, cujo nome remete ao funcionamento do obturador das máquinas fotográficas e pode ser pronunciado em qualquer idioma.

3. Seja criativo. Nomes como Google, Yahoo e Submarino são exceções no mercado quando se pensa em objetividade, mas ao mesmo tempo possuem qualidades que precisam ser levadas em consideração: pronúncia simples e exclusividade. Palavra curta também é um ponto positivo na escolha.

4. Procure não ser só mais um na lista de nomes do seu segmento. No caso da aviação internacional é comum que os nomes das companhias sejam muito parecidos, como é o caso de American, Southwest, Northwest e Alaska Airlines. No Brasil, a tendência é outra e contribui para a formação da identidade das marcas.

5. Considere quais plataformas vai usar. Por fim, não esqueça de verificar a disponibilidade de usar um domínio na web para o seu novo negócio e saiba como otimizar o seu site a partir da URL escolhida. Pensar nisso pode fazer toda a diferença na hora de facilitar as buscas dos seus consumidores online.